Categorias
Data Driven

TCO: Como avaliar um investimento em projeto de Dados?

A utilização do TCO, Total Cost of Ownership (Custo Total de Propriedade), tem como objetivo estimar financeiramente todos os custos diretos e indiretos envolvidos no seu projeto de dados. O intuito é tentar identificar o impacto financeiro que a implementação trará.

Etapas de cálculos do TCO:

Aquisição: Onde você vai levantar os custos com aquisição de hardware e software.

Implementação: Aqui você irá listar tudo que será preciso para realizar a implementação do projeto em sua empresa.

Suporte ou manutenção: Nesta parte do cálculo você irá contabilizar tudo o que envolve suporte e manutenção, como, por exemplo, profissionais de TI.

Porém, para alcançar bons resultados existem alguns fatores que precisam ser considerados para que o cálculo de TCO seja realizado adequadamente. Eles são:

  1. Saiba quais são os objetivos:

Saber quais são os objetivos propostos para a realização do cálculo de TCO é o que vai garantir que os resultados atendam às expectativas.

  1. Defina quais são os custos relevantes:

É importante entender e definir o que de fato será relevante para tal projeto. Aqui entram custos como contratações, serviços, ferramentas, etc.

  1. Defina o período do cálculo:

O ciclo de vida de um produto de TI, o período de execução de um determinado projeto e o levantamento dos custos mensais de um setor, por exemplo, são algumas amostras de períodos que podem ser contemplados para se calcular o TCO.

Qual a importância desse cálculo?

O TCO é importante para calcular os custos de investimentos de um projeto, e também para comparar produtos e serviços, para que você consiga optar pelo melhor custo x benefício.

Aqui na IN10, por exemplo, nós temos o I Know. Com o I Know o cliente não precisa investir em hardware, software, contratar e treinar profissionais capacitados em dados para o seu projeto.

Adquirindo o plano de assinatura do I Know, além de economizar consideravelmente em comparação a implementação de projetos de forma tradicional, o cliente também já possui todos os gastos com contratações e compra de materiais incluso. Com isso o investimento total do projeto consegue ser menor e também mais rápido.

Você pode baixar nossa planilha aqui, para ter uma ideia de quais são os custos com investimentos e como calculá-los.

Agora que você já conhece a importância do cálculo de TCO, nos diga, já o usou na sua empresa? Conte com a IN10 para te ajudar.

Categorias
Data Driven

Business Intelligence e Análise de Dados na sua empresa.

A análise de dados e o Business Intelligence (BI) precisam andar de mãos dadas na gestão de uma empresa. Pois, os dados são informações valiosas que determinam o sucesso de uma corporação.

Analisar dados é entender comportamentos e preferências de seus clientes e assim tomar as decisões certas para o momento. Através dessa análise é possível prever resultados e definir estratégias que possam mudar o futuro do seu negócio.

O que é o Business Intelligence?

O Business Intelligence é um conceito que se apoia na tecnologia afim de coletar, armazenar e analisar dados relevantes para uma empresa. Após a coleta de dados, ocorre então o processamento dos mesmos. Com isso, o BI gera relatórios visuais apresentados em Dashboards, que auxiliam na interpretação das informações coletadas.

Apresentar dados de forma visual torna a leitura acessível, pois qualquer colaborador dentro de uma empresa tem a capacidade de compreendê-los e com isso fica mais fácil tomar decisões e definir estratégias.

O Business Intelligence pode auxiliar na tomada de decisões do seu negócio em diferentes áreas, como por exemplo:

  • Identificando formas de aumentar os lucros
  • Analisando o comportamento dos clientes
  • Comparando dados com a concorrência
  • Acompanhando o desempenho
  • Otimizando as operações
  • Prevendo o sucesso
  • Identificando tendências de mercado
  • Descobrindo erros ou problemas

O Business Intelligence e a análise de dados precisam trabalhar juntos, porque um complementa o outro.

A análise é a responsável por trazer questionamentos como “Por que isso aconteceu?”, “Como aconteceu?”, “O que acontecerá?”. Enquanto o BI é o responsável por mostrar os resultados de forma acionável.

Por sermos seres visuais e muito sensíveis a padrões e a cores, visualizar os dados em dashboards ajuda na leitura e análise, mesmo para aqueles que não possuem tanta familiaridade com eles.

Transformar dados em painéis, ajudam a contar imediatamente uma história, porque destaca tendências ou padrões que talvez não fossem facilmente revelados com a análise manual dos dados brutos. Essa acessibilidade possibilita mais conversas sobre os dados, levando a um impacto ainda maior.

Conhecendo quais são os impactos do BI e análise de dados dentro de uma empresa, você percebe a necessidade dessa transformação?

Conte com a IN10 para levar essa cultura à sua organização.

Fale conosco.

Categorias
Data Driven

Metaverso: Como essa tecnologia afetará sua empresa.

A empresa Facebook está passando por uma mudança em sua identidade, conhecido como rebranding, e anunciou a mudança de nome para Meta. O nome faz referência ao “metaverso” – uma versão 3D da internet – que está na mira de vários desenvolvedores há algum tempo.

Mark Zuckerberg, que também é dono do WhatsApp, Instagram e Facebook, decidiu mudar o nome da empresa em uma tentativa de dissociar de uma rede social em específico, para poder se ancorar em tudo o que estão construindo.

Mas como o metaverso afeta sua empresa?

O Metaverso baseia-se na criação de espaços virtuais 3D compartilhados. Sendo assim, torna-se possível estar em locais distantes em questão de segundos através de um holograma, e sentir-se presente por meio da realidade aumentada.

Essa tecnologia afetará muito a maneira como as pessoas se relacionam, porque tudo se tornará viável, mesmo que ainda de forma virtual.

Reuniões poderão acontecer em escritórios sem que você precise sair de sua casa. Encontros com pessoas do mundo todo serão mais reais, sem que você precise de fato viajar.

Parece coisa de filme, não é? Mas esse é o metaverso.

Além das relações, o número de dados a serem analisados aumentarão, uma vez que novas preferências, dispositivos e comportamentos serão gerados. Com essas informações, será possível mudar a forma de atuar em uma corporação e se aproximar cada vez mais dos clientes.

Em 2014 o Facebook adquiriu a Oculus, criadora do headset de realidade virtual Oculus Rift, atual Oculus Quest. E em Agosto de 2021, a empresa anunciou um serviço que oferece uma sala de reuniões online, substituindo as chamadas de vídeo por avatares em um mundo virtual compartilhado.

Apesar de ser algo ainda não muito acessível, esses foram os primeiros passos para a mudança da empresa.

E como ficarão as questões de privacidade?

O Facebook já esteve envolvido em vários escândalos que ferem a privacidade, como, por exemplo, nas eleições de Donald Trump em 2016. E recentemente houve o vazamento de documentos internos que apontam o envolvimento da empresa em episódios de violência pelo mundo, chamado “Facebook Papers”.

A empresa ainda não se pronunciou sobre quais serão as medidas a serem tomadas que garantirão a segurança dos dados de seus usuários.

Apesar de ser uma realidade bastante futurista e tecnológica, será que essa nova forma de se relacionar será facilmente adaptada por nós, que somos seres extremamente sociais?

Ficaremos de olho para entender e acompanhar os passos dessa inovação.

Categorias
Data Driven

People Analytics: Outra maneira de analisar seus dados de RH.

People Analytics é o conceito de analisar dados na gestão de pessoas. Partindo de uma visão humanista, as pessoas são o centro de uma organização, pois toda Pessoa Jurídica possui um conjunto de Pessoa Física por trás.

Com o avanço tecnológico, conclui-se que as pessoas têm tido cada vez mais tempo para explorar suas habilidades e criatividade, uma vez que as máquinas e programações podem auxiliar no trabalho humano. Porém, com a diminuição do trabalho humano em algumas funções, cresce também a rotatividade de funcionários.

O People Analytics surge então com o objetivo de solucionar esse problema. Sua função envolve melhorar a gestão de pessoas, reter talentos e aumentar a satisfação dos colaboradores.

Mas como o People Analytics realiza esse trabalho?

O que difere o People Analytics das tarefas de Recursos Humanos são apenas os dados. E justamente os dados são os responsáveis por garantir uma tomada de decisões mais assertiva – quando analisados de maneira correta.

E usar os dados hoje em dia é algo essencial, porque o mercado mudou!

Por exemplo: Quando uma empresa abre vaga e recebe uma grande variedade de candidaturas, imagine quanto tempo uma pessoas leva para selecionar os mais qualificados e prepara-los para uma possível entrevista. Com o People Analytics é possível filtrar essas candidaturas de maneira simples e automatizada, eliminando assim o recurso humano e otimizando o tempo do profissional de RH.

Isso ocorre porque há uma coleta de dados eficaz que os transforma em uma informação valiosa para a empresa.

Existem algumas startups atualmente que já realizam esse tipo de filtro. Porém, muitas empresas preferem investir em uma automatização no próprio site, ou em um próprio aplicativo.

Algumas outras formas de interagir com os colaboradores e promover uma análise mais assertiva na coleta de seus dados, está na criação de aplicativos e programas internos. Dessa forma o colaborador pode realizar cursos, usar as ferramentas no dia-a-dia, se atualizar e se informar sobre a empresa.

Agora que você já sabe da importância do People Analytics para sua organização, nos diga, você está preparado para transformar sua empresa?

Categorias
Data Driven

UX/UI + I Know: Analise seus dados de forma descomplicada

Como você já deve saber, o I Know é um serviço da IN10 que conta com um plano de assinatura em sua aquisição. E, para sua entrega, o serviço passa por um processo de UX/UI design. Caso você ainda não tenha lido sobre o I Know, clique aqui para conhecer essa plataforma revolucionária.

O que são UX Design e UI Design?

A sigla UX significa User Experience (Experiência do Usuário), enquanto UI significa User Interface (Interface do Usuário).

UX Design

UX está relacionado à forma como o cliente interage com seu produto ou serviço, visto que esse fator é determinante para o sucesso de uma empresa.

Essa experiência envolve desde o momento em que o usuário conhece sua oferta até o momento em que ele a adquire. Por exemplo, se o site da sua empresa não for simples e prático para o cliente, dificilmente ele se manterá interessado no seu produto/oferta, por isso a experiência do usuário é tão importante desde o início do contato.

UI Design

A interface está relacionada ao meio que o usuário utilizará para se conectar com seu negócio. Esta pode ter vários tamanhos, formatos e tipos, como por exemplo as telas de site, aplicativos de celular, etc.

O UI design vem com a missão de simplificar esse contato, descomplicando-o. Por exemplo, o botão “Diagnóstico” presente em nosso site tem como objetivo levar o usuário a realizar uma ação, que é a de nos contatar, e assim transformar essa relação em algo possível e sem burocracias.

I Know + UX/UI

O I-Know tem como objetivo otimizar o tempo e recursos financeiros da sua empresa na obtenção, tratamento, visualização e exploração de Dados. Qualquer Dado pode ser analisado dentro da plataforma. Com isso o cliente não precisa adquirir hardwares, softwares ou capacitar profissionais, pois esta etapa já está inclusa no serviço do I Know.

Um dos processos de entrega do I Know envolvem o UX/UI Design, alinhados às expectativas do cliente. Dessa forma se torna um projeto de entrega rápida, com custo baixo de aquisição e com qualidade.

Assim o cliente consegue interagir de forma descomplicada com a plataforma e analisar seus dados de maneira simples e legível.

Quer saber mais sobre nossa oferta? Clique aqui para conversarmos.

Categorias
Data Driven

Strategy: Necessidade que antecede a tecnologia

Strategy, ou Estratégia, vem do grego stratēgia e significa “a arte de liderar”. Numa organização, a tomada de decisões assertivas são responsáveis pelo crescimento da mesma.

A Estratégia está presente desde o período das guerras, por exemplo. San Tzu, que foi estrategista no século IV a.C, escreveu um tratado nominado “A Arte da Guerra“, que abordava de forma abrangente as estratégias militares. Sem um direcionamento, não é possível saber para onde se vai e nem visualizar onde se quer chegar.

Em se tratando de empresas, o Strategy vem para garantir decisões estratégicas de alto nível.

Os especialistas em Strategy da IN10 combinam um profundo conhecimento de mercado com métodos de ponta, para ajudar líderes a resolverem suas decisões mais críticas, gerar valor e obter sucesso transformacional.

Trabalhamos para compreender as estratégias por meio de dados para que realizem o potencial total dos negócios, aproveitando insights profundos sobre clientes, evolução, disruptura tecnológica, ecossistemas de open innovation e fontes de vantagem competitiva em constante mudança.

Após a compreensão de estratégia e KPIs, traduzimos toda informação em dados, objetivando trazer uma cultura de gestão data driven.

Combinamos desenvolvimento de cenários, ferramentas, ativos de detecção de tendências e serviços de informações, para ajudar os líderes a entenderem um mundo confuso, e assim, antecipar mudanças e informar sobre novas oportunidades baseadas em dados.

O padrão Strategy permite definir novas operações sem alterar as classes dos elementos sobre os quais opera.

Ficou interessado e quer implementar o Strategy na sua organização? Clique aqui e converse conosco.

Categorias
Data Driven

Dados: Alcance seus objetivos os utilizando na sua empresa.

Implementar uma estratégia de dados bem definida é um desafio para as empresas. Isso ocorre porque uma das maiores dificuldades das organizações está na incapacidade em monitorar métricas que indicam se os objetivos estratégicos estão sendo alcançados.

A IN10 desenvolveu o I Know para superar este desafio!

O I Know é uma plataforma inovadora que está acelerando a transformação digital das empresas através da análise de dados. Sendo assim, esta inovação permite que qualquer dado possa ser ingerido e interpretado pelo cliente.

A plataforma e a metodologia de entrega foram formatadas para ter rapidez e eficácia, como resultado, atendendo a todas as áreas.

Métricas para cada setor

Para assinar o serviço do I Know, o cliente indica quais são as métricas desejadas para cada setor da empresa ou podemos ajudá-lo no entendimento e mapeamento destas. Assim, é possível tomar decisões com velocidade e qualidade, analisando dados em tempo real, transformando o desempenho da empresa como um todo, acelerando os processos de cada negócio.

Para conhecer um pouco mais sobre quais são as métricas, acesse nosso e-book clicando aqui.

Transformação digital através dos dados

Uma das vertentes da transformação digital é, sem dúvidas, a capacidade de transformar a cultura e os processos da empresa para que ela se torne mais orientada por Dados, trazendo assim melhoria na pesquisa e desenvolvimento, eficiência operacional e lucro.

Os dados alimentam o Data Science e o Machine Learning, que nos permitem melhorar a previsão de resultados para colher os benefícios desses insights analíticos.

Time multidisciplinar

Nosso time multidisciplinar de Data Science, junto ao time do cliente, estarão unidos para superar desafios com Dados utilizando o I-Know. 

O apoiamos na jornada de obter benefícios na exploração de seus Dados, necessários para impulsionar análises modernas e transformação digital. Trabalhamos para prover entregas contínuas e ágeis. É preciso pensar de maneira diferente sobre a cadeia de valor de gerenciamento e integração de dados.

Categorias
Data Driven

Analytics: Como funciona e como pode impulsionar sua empresa.

Analytics é o uso aplicado de dados, análises e raciocínio sistemático, visando auxiliar na tomada de decisões mais assertivas e eficientes.

Fazendo parte do Business Intelligence, Analytics pode ser aplicado em diversos negócios e em diferentes segmentos.

Por que recorrer ao Analytics?

O sucesso de uma organização depende das decisões tomadas pelos líderes. Estas decisões não podem ser baseadas na intuição, mas sim, enraizadas nos dados.

Usando partes iguais de arte e ciência, o Analytics é a prática de dar vida a esses dados. 

A análise é importante para responder perguntas e definir padrões, como:

  • O que aconteceu?
  • Por que aconteceu?
  • Quando aconteceu?
  • O que acontecerá depois?

Com essas respostas em mãos, torna-se possível auxiliar não somente nas decisões a serem tomadas pelos líderes, mas também contribuir para uma evolução na maneira como os estudos são realizados.

Tipos de análises:

  • Análise Descritiva:

Também conhecida como análise exploratória, é onde procura-se entender e descrever a atual situação das informações, analisando dados históricos e demonstrando o que está acontecendo, por exemplo o volume de vendas, volume de negócios, volume de produtos, volume por loja, etc…

  • Análise Preditiva:

Utilizada para previsão de cenários futuros com base em modelos estatísticos, mineração de dados e aprendizado de máquina (Machine Learning). Essa análise é indicada para prever comportamentos futuros dos Dados.

  • Análise Diagnóstica:

Focada na compreensão do que causou um evento, analisando o impacto e alcance de determinada ação, respondendo perguntas como; “Quem?”, “Quando?”, “Onde?”.

  • Análise Prescritiva:

A ideia aqui é verificar as consequências das ações tomadas, possibilitando saber o que ocorrerá ao realizar determinadas escolhas. Essa análise possui alto valor agregado, pois precisa do elemento humano no processo.

As empresas têm recorrido cada vez mais à análise de dados, devido ao grande aumento do uso destes com a tecnologia. Tudo é informação e. consequentemente, toda informação pode se tornar um bem precioso dentro de uma organização se analisada da maneira correta.

Nós, da IN10, temos o compromisso de, junto com o cliente, transformar dados em insights.

Vamos conversar?

Categorias
Análise de Dados Data Driven

Agilidade Analítica: como sua empresa pode desenvolvê-la?

Diante de um cenário de mudanças extremas e imprevisíveis como o que estamos vivendo atualmente com a COVID-19, torna-se essencial que as empresas se adaptem rapidamente para se garantirem no mercado. E esse desafio só é possível se as organizações se esforçarem para desenvolver agilidade analítica.

Mas como desenvolver agilidade analítica?

Através dos Dados!

Há ainda quem resista em transformar sua empresa em orientada a dados pelo custo de sua aquisição. Porém, em contrapartida, mais caro mesmo é não tê-los na direção.

Dados são ativos que auxiliam na tomada de decisões, previsão de resultados futuros e detecção de problemas. Sendo assim, sem esses ativos é muito difícil se destacar e competir no mercado.

Um exemplo do auxílio dos dados nas organizações está em como houve a necessidade de se reinventarem durante a pandemia. Uma vez que tudo acontecia remotamente, foi preciso analisar o comportamento de cada usuário, como preferências, horários, dispositivo de acesso e etc, para que se pudesse continuar atendendo os clientes sem perdê-los para outras organizações já orientada a dados.

A agilidade analítica nesse caso foi fundamental para que se pudesse coletar os dados rapidamente e então agir. Houve uma situação inesperada (pandemia), porém, com os dados, houve uma ação rápida.

Saber se posicionar diante de um cenário imprevisível requer conhecimento, preparo e uma equipe com entendimento de negócio. Isso fará com que organizações orientadas a dados se destaquem futuramente com agilidade analítica.

Quais os benefícios dessa agilidade?

Quando uma organização possui os dados como um ativo, seus líderes possuem mais informações que os auxiliam na tomada de decisões. Com isso, se consegue agir rapidamente em momentos de ruptura, ganhando vantagem competitiva no mercado.

Para isso ocorrer de fato, além de ter os dados na cultura da empresa, é preciso que as equipes estejam unidas e compreendam a importância desse ativo, assim é possível analisar e interpretar os dados de forma correta.

Uma organização sem dados é uma organização sem direção e uma organização sem direção não consegue agir no momento certo.

Conte com a IN10 e com nossas diferentes ofertas analíticas para te auxiliar nessa mudança.

Categorias
Data Driven

Como se tornar uma empresa orientada por dados?

Diante de tantas mudanças que ocorrem frequentemente no mundo, torna-se inviável que uma empresa esteja preparada para todas elas. Porém, com uma cultura orientada por dados, as organizações podem começar a obter todos os sinais sobre o que está ocorrendo e, portanto, posicionar-se para reagir.

Qual a importância de tornar-se orientado por dados?

As organizações precisam mudar a maneira de operar e pensar, pois, empresas orientadas por dados tomam decisões estratégicas com base em
dados. Essas decisões podem ser sobre como reduzir custos, sobre como encontrar novas oportunidades e áreas para explorar, por exemplo.

Uma base de dados consistente começa com um
armazenamento de dados de baixo custo, confiável, altamente
durável e escalável.

Para ganhar a agilidade necessária para responder ao inesperado, você precisa de uma base de dados que permita capturar, limpar e selecionar os dados de toda a empresa para compartilhá-los e reutilizá-los na tomada de decisão diária. Depois, você precisa pensar na segurança e na governança.

Quando as empresas querem se tornar mais orientadas por dados, elas também precisam ensinar as pessoas a se tornar mais orientadas por dados. Isso requer capacitação e treinamento. Entretanto, também é preciso colocar os dados nas mãos de todos para que toda a organização possa experimentar e interagir com eles.

É necessário pensar na modernização e nos dados estrategicamente, preparando-se para o futuro.

Quais são os desafios encontrados na transição para uma empresa orientada por dados?

O primeiro passo para conseguir transformar uma empresa, é transformar a mentalidade de quem a lidera. Normalmente há uma certa resistência em aceitar novos caminhos e em encarar novos desafios.

À medida que as empresas migram de sistemas herdados para
outros mais modernos, elas podem aproveitar as melhores
ferramentas a qualquer momento sem precisar fazer migrações
caras ou redefinir as plataformas. Isso permite que elas façam
com os dados coisas novas que antes elas não podiam.

Quanto mais rápido as organizações entenderem a importância de uma cultura guiada por dados, mais sucesso ela terá.

Conte com a IN10 para te auxiliar nessa transformação.

Fontes: AWS